ABENÇOAR: ARMA PODEROSA DE GUERRA

image

' Pois não era um inimigo que me afrontava, então eu o teria suportado, nem era o que me aborrecia que se engrandecia contra mim, porque dele me teria escondido. Mas eras tu, homem meu igual, meu guia e meu íntimo amigo. Praticávamos juntos suavemente e íamos com a multidão à casa de Deus. '

( Salmos 55: 12 a 14 )

O salmo 55 mostra Davi relatando suas queixas sobre seus inimigos e suas malícias. Nos primeiros versículos ele faz um relato sobre seu estado de angústia e seu desejo de fuga daquele sentimento.

Em meio àquele caos, que muitas vezes nós também experimentamos em nossas vivências diárias, Davi, fala com Deus e pede que Ele interfira a seu favor e lhe dê livramento, destruindo seus inimigos.

É neste momento que queremos focar. Ele observa que o inimigo é diferente. Não são os povos, as nações inimigas, mas eram pessoas de seu próprio povo, ainda mais, pessoas próximas, de seu convívio. Pessoas que ele conhecia muito bem, que andavam com ele, que se diziam apoiadores, mas que agiam maliciosamente. Que junto a ele se faziam de amigos e longe usavam a proximidade que tinham para traí-lo. Este tipo de inimigo é devastador. Destrói emocionalmente e fisicamente. É um inimigo que saboreia a nossa derrota. Sente prazer em ver nossa destruição, embora muitas vezes estivesse ao nosso lado, fingindo apoio e tristeza por nós.

Esta é uma situação bastante comum no nosso dia a dia. São muitos os que experimentam esta situação. Infelizmente também é possível encontrarmos pessoas que agem assim, dentro da Igreja. A Bíblia chama estas pessoas de ímpios. Ímpio é aquele que não tem respeito pela Palavra de Deus. E é justamente por não ter este respeito, que se comportam assim, demonstrando que não tiveram um encontro verdadeiro com Deus, ou pelo menos não iniciaram o processo de limpeza e transformação pelo Espírito Santo.

Aprendi que, quando percebemos uma situação assim contra nós, devemos levar a Deus em oração, pedir a Ele que nos dê o discernimento, sobre o que fazer, pois precisamos preservar os mais fracos e a Igreja num todo. Porque agir sem pensar e causar um tumulto, é tudo o que o diabo quer, pois causa tantos danos que a Igreja é quem sofre. Nestes casos quando estivermos sendo vítima de um inimigo assim, a melhor estratégia é abençoar quem se coloca como nosso inimigo. Parece uma atitude ilógica, mas a benção tira as coisas erradas e colocam tudo em seu devido lugar sem causar danos ao Corpo de Cristo, inclusive dando ao inimigo a oportunidade de acertar seus caminhos com Deus.

É isto. Que aprendamos a lutar juntamente com Deus e assim contribuir para que a Igreja se fortaleça e as divisões nas igrejas diminuam.

Tenham um dia abençoadíssimo, na presença de nosso Deus.

 

 

 

Conceição Fernandes de Oliveira da Silva

Pastora da Igreja Restauração em Cristo

Quer receber nossas meditações diariamente pelo WhatsApp? Cadastre-se aqui!